Friday, November 20, 2009

Ana uma Mãe que Orava



Uma Mãe que Orava

1 Sm 1:10-11
Introdução : Uma pessoa muito ilustre na América, declarou certa vez que nunca conheceu uma instituição que trabalhasse para o bem estar social que não tivesse sido fundada por alguém cuja mãe era uma mulher de oração.Esta declaração é muito profunda e até mesmo um pouco exagerada, mas existe uma relação entre as orações das mães e a vida espiritual de seus filhos. Não haveria calamidade maior numa nação,do que ver extinto do seu meio mulheres de Deus, mães que conhecem o poder do Deus Altíssimo.

I. Ana Orou
O desejo de ter filhos e ouví-los é algo normal. Talvez este desejo seja maior para uma mulher. Nos tempos bíblicos em Israel, este sentimento era fortíssimo. O homem encontrava sua necessidade de uma imortalidade terrena cumprida em sua semente, especialmente do filho homem. Para uma mulher não poder gerar filhos, ou seja, ser estéril, era uma desgraça. Ana, mulher de Elcana, no entanto era privilegiada pois seu marido entendia sua condição e a amava, mesmo não tendo ela poder de lhe dar filhos. Mas por causa do amor e da afeição de seu marido, Ana tinha um desejo ainda maior de agradá-lo, dando-lhe um filho.

Mesmo não tendo a Escritura para provar este fato, a verdade é que Ana deve ter orado muitas vezes antes desta oração que ela fêz quando visitava o templo. Todas as coisas a respeito da vida de Ana e suas subsequentes ações, são evidencias que ela era uma mulher de oração, e que mantinha um relacionamento íntimo com o Senhor.

II. Ana orava com persistência.
Muitas vezes nossoas petições a Deus são superficiais e faltam aquele fervor profundo. A oração de Ana foi bem mais do que uma Maria-quer-biscoito tipo de oração. Aquilo que ela estava pedindo era de vital importancia. Ela derramou o seu coração diante do Senhor. A Bíblia diz que “Ana só falava no coração e os seus lábios se moviam ...” (1 Sm 1:13). Quando Jesus disse : “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis, batei, e abrir-se-vos-á” (Mt 7:7), ele usou verbos numa forma em que indica uma ação contínua. Uma tradução literal do texto seria “continue pedindo e você receberá, continue batendo que lhe será aberto”. Jacó quando lutava com Deus no vau do Jaboque, ele se agarrou ao anjo e não o largou enquanto não lhe fosse prometido uma benção. A história do Cristianismo é cheia de homens e mulheres que nunca deixaram de orar até que tivessem a certeza da vitória.

III. Ana orou mesmo sendo perseguida.
Naqueles tempos Deus permitia que o homem pudesse ter mais do que uma esposa. Nunca foi parte do plano original de Deus, mas o Senhor permitiu por causa da imaturidade espiritual do povo. A Bíblia nunca pode ser tomada como uma justificativa para a poligamia nos dias de hoje. Na realidade, terríveis lições podem ser aprendidas do Antigo Testamento, de homens que tiveram fsmílias com mais de uma esposa ou por diferentes mulheres.

A outra esposa de Elcana, chamada Penina, a importunava tanto que acabou causando um grande transtorno na vida de Ana. Ainda assim Ana recusou-se a permitir que a amargura tomasse conta do seu coração. Pelo contrário, ela desenvolveu um hábito profundo de oração na sua vida. É a melhor coisa a fazer quando somos importunados ou atacados. Nunca é fácil dar a outra face, mas grandes recompensas chegam para aqueles que aprendem que a vingança pertence ao Senhor.

A acusação de Eli de que Ana estava embriagada, certamente poderia ser considerada uma forma de perseguição. Veja como foi a resposta de Ana: Ela respondeu de uma maneira delicada. Ela disse que tinha derramado sua alma perante o Senhor e pediu que ele não a considerasse como uma mulher sem valor. Ela explicou que era por causa de sua grande dor, de seu desgosto, que ela tinha orado assim com tão insistência.Tão doce era o seu espírito que Eli imediatamente creu nela e disse que ela fosse em paz com a promessa de que ele também estaria orando com ela para que Deus pudesse garantir a sua petição.

Novamente, devemos nos lembrar que a história é cheia de mártires que oravam quando eram perseguidos. Estevão talvez tenha visto Jesus morrer, porque ele disse palavras similares as palavras de Jesus quando ele morria. Estevão clamou a Deus para que o Senhor perdoassem aqueles que o estavam apedrejando.

IV. Ana orou fazendo uma promessa.
Este é um ponto em que é necessário ter certa cautela. Tentar obter promessas de uma pessoa quando ela tem um sério ou até mesmo urgente necessidade , pode ser algo perigoso. Não se faz barganha com Deus. Se precisamos tomar uma decisão concernente a nossa vida espiritual, devemos fazer independente se Deus vai ou não garantir o favor que desejamos. Promessas debaixo de pressão nunca são cumpridas. A promessa de Ana não era deste tipo. Ana não tinha filhos. Ela prometeu ao Senhor que Ele lhe desse um filho, ela dedicaria aquela criança ao serviço de Deus. É uma promessa diferente daquela da pessoa que diz que se Deus garantir lhe dar aquilo que ele deseja, ela vai começar a ir a igreja, dar o seu dízimo ou levar uma vida diferente. A promessa de Ana era uma promessa de completa dedicação para o bem do Reino de Deus. Este tipo de promessa é valiosa, e Deus se deleita em honrá-la.

V. Ana cumpriu aquilo que prometeu.
Tudo indica na Bíblia que Ana era uma mulher de integridade. Ela colocou nome no seu filho de Samuel porque ela o pediu ao Senhor. Depois que a criança nasceu, ela resolveu que assim que ele estivesse desmamado, ela o levaria a casa de Deus e lá o deixaria para sempre. Quando Ana trouxe Samuel a Eli, ela se identificou, reconhecendo seu débito para com Deus concordando em entregá-lo ao Senhor por todos os dias de sua vida. Fazer um voto a Deus é algo sério. Se por lado não fizermos aquilo que prometemos, construímos sentimentos de culpa que vai nos incomodar enquanto nao cumprirmos. O não cumprimento do voto, torna-se uma quebra de aliança, o que se torna uma infidelidade. Por outro lado, existe muitas pessoas que fizeram promessas a Deus, Deus atendeu seus pedidos e elas cumpriram fielmente o que prometeram a Deus. O salmista levantou esta questão : “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícos que me tem feito?” (Salmo 116:12). Depois ele respondeu com uma série de coisas que ele faria. Uma delas, “Pagarei os meus votos aos Senhor“ v. 14. O Espírito Santo te exorta a se lembrar de uma promessa feita e não cumprida. Talvez voce tenha prometido dar uma oferta para a compra do acampamento da igreja, ou uma promessa de uma oferta com propósito, até mesmo prometeu se disponibilisar mais para a obra de Deus. Não há problema em você ter esquecido, pois neste momento o Espírito Santo te faz lembrar agora da sua promessa. Apenas cumpra com seu voto!


Conclusão: Grandes lições podemos aprenderdesta parte das escrituras sobre Ana, mulher de Elcana.

A) Uma delas, é que nunca devemos nos desesperar quando estamos desencorajados. Deus conhece nossa situação e Ele tem recursos suficientes para preencher todas as nossas necessidades.

B). Aquele que ora contínuamente e persevera em sua oração, obterá de Deus a resposta ao seu pedido.

C) Nossas orações devem ser de uma tal forma, que se respondidas, contribuirão para o avanço do Reino de Deus e para a sua glória. Ninguém tem o direito de orar por alguma coisa que não vai, se respondida, contribuir para que o dominio de Deus seja estendido aos corações das pessoas.

D)Uma quarta lição que aprendemos desta passagem, é que pessoas nobres se alegram quando estão fazendo aquilo que prometeram. Fazer a vontade de Deus é a maior realização na vida de uma pessoa.

Com amor, seus pastores

Ap. Roberto e Pra Efigenia Paiva.




1 comment:

Ge said...

http://twitter.com/MIRAVMARLBORO